No poo, low poo РNova tend̻ncia ganha adeptos no Brasil

“No Poo, Low Poo” é uma técnica desenvolvida e disseminada pela cabeleireira americana Lorraine Massey, autora do livro Curly Girl, e consiste no tratamento capilar que prioriza formas mais leves de limpeza.

A partir do livro, o método “No Poo” faz referência à abstenção do uso de xampu, pautada na ideia de danos que algumas substâncias podem causar, além da lavagem apenas com o condicionador, usando o método denominado co-wash. Já o método “Low Poo” faz referência à utilização de xampus sem sulfato, através da justificativa de que os sulfatos não retiram apenas a sujeira dos fios mas também sua proteção natural, colaborando para o ressecamento.

Ambos tratamentos começaram a crescer nos EUA a partir da publicação do livro e, após a tradução para o português em 2015, as brasileiras também aderiram à técnica. As adeptas ao “No Poo” e ao “Low Poo” no Brasil se organizaram e criaram até grupos no Facebook (o maior deles já com 190 mil membros em maio/2016!) para compartilhamento de vivências e informações sobre os processos capilares.

O movimento tem muitos aspectos positivos. Colaborou para o entendimento de que os cabelos não devem ser lavados numa frequência maior do que a necessária ou com produtos muito agressivos, o que depende de características individuais. Ele valoriza, ainda, o estilo natural, promovendo autoaceitação e melhora da autoestima, principalmente em pessoas com cabelos crespos. E tem havido na sociedade, de modo geral, uma maior busca por conhecimento a respeito da saúde dos fios e por entendimento dos tratamentos cosméticos, sejam domésticos ou realizados em salão.

No entanto, a técnica gera também possíveis ideologias que devem ser vistas com cautela, para que não contrariem a liberdade de escolha de cada um. Se a “ditadura dos cabelos lisos” se tornar a “ditadura dos cabelos naturais”, o No Poo/ Low Poo perde seu propósito. Tomadas as devidas precauções e com o conhecimento do que são cuidados e do que são “barbeiragens”, podemos nos permitir algumas ousadias com nossos fios de cabelo de vez em quando. Afinal, a saúde deles tem importância mais que tudo estética, não interferindo no equilíbrio do restante do organismo.

Também não devemos sair vasculhando bulas de xampus à busca de substâncias proibidas. Os sulfatos, grandes vilões dos adeptos à técnica, não são venenos, mas agentes de limpeza que podem ser usados por boa parte das pessoas, sem prejuízo algum. Um outro ponto é que dificilmente um condicionador será o produto mais adequado à lavagem do couro cabeludo. Quando a limpeza ocorre adequadamente com o co-wash é porque o produto já apresenta detergentes suaves, agindo como um xampu leve, e seus agentes emolientes são facilmente removíveis. E finalmente, faz-se necessário considerar que a menor frequência de lavagens pode agravar quadros como dermatite seborreica, prurido de couro cabeludo e até mesmo queda capilar em indivíduos predispostos.

Antes de aderir ao método “No Poo, Low Poo” ou a qualquer outro procedimento capilar dessa instância, é necessário entender as necessidades individuais dos fios e do couro cabeludo, e, em caso de dúvida, consultar um médico dermatologista.

Dra. Flavia Sternberg  – CRM/SP: 107.699

Deixe uma resposta